Penafiel – Um Fim de Semana no Norte de Portugal

Penafiel é uma cidade histórica que pertence ao distrito do Porto, mesmo no coração do Litoral Douro. É a paragem ideal para quem se aventura num passeio pela região, a par do Rio Douro. Penafiel é conhecida pelo seu povo acolhedor. Bem sabem eles receber os seus visitantes. De sorriso no rosto estiveram sempre disponíveis para nos mostrar e explicar a história e as origens da terra. É sem dúvida os habitantes de cada cidade ou aldeia que fazem toda a diferença nas viagens que fazemos. Podemos ver jardins e monumentos mas são as pessoas que lá vivem que nos conseguem transmitir o seu verdadeiro valor. Em Penafiel não foi exceção.

Esta minha visita surgiu na sequência de um encontro de Bloggers de Viagens. Se tiveres interesse em saber mais lê o que escrevi aqui neste artigo. Durante a minha estadia de dois dias nesta cidade portuguesa encontrei alguns lugares que me marcaram pela sua história.

Penafiel

O Que Ver e Fazer em Penafiel

Gostas de destinos recheados de tradições portuguesas? Então Penafiel é um lugar que deves mesmo visitar numa próxima oportunidade. Preparei em detalhe o itinerário daquilo que vimos e fizemos nestes dois dias. A partir daqui és livre de escolher os lugares que mais te interessam e fazer o teu próprio itinerário.

1º dia em Penafiel

O encontro estava marcado ao início da tarde e o local onde nos reunimos foi Penafiel Park Hotel & Spa. Foi na sala de receção do hotel onde tivemos a conversar alegremente entre Bloggers enquanto aguardamos a chegada de todos. Já com a presença de todos fomos oficialmente recebidos pelo Sr. Adolfo Moreno, o Vereador do Turismo da cidade. Foi então depois que pusemos os pés a caminho da nossa visita a Penafiel.

Centro Histórico

Em primeiro lugar visitámos o centro histórico de Penafiel com a ajuda de uma técnica do turismo. Eu e quase todos os outros bloggers ficámos fascinados com as ruas rodeadas de casas históricas muito bem preservadas. Estas vielas trouxeram-me logo recordações de Coimbra e do Porto também. O centro histórico da cidade está repleto de igrejas. Neste passeio tivemos a oportunidade de conhecer quatro monumentos religiosos integrados na Rota das Igrejas. A Rota das Igrejas é um projeto criado com o objetivo de promover melhor o turismo religioso da cidade. Existem dois percursos distintos, uma vez que algumas igrejas encontram-se um pouco afastadas do centro. Um técnico do Posto Turismo faz visitas guiadas, no 1º e 3º Sábado de cada mês, de Maio a Setembro.

Santuário do Sameiro

O jardim do Sameiro é um verdadeiro miradouro natural e um espaço muito bonito. Seja dia ou noite, a vista panorâmica do alto do jardim é uma das paisagens mais marcantes da cidade. Este espaço recheado de verdes e flores é o cartão-de-visita da cidade. É no topo que está o Santuário da Nossa Senhora da Piedade e Santos Passos. Para o mais curiosos a sua construção foi inspirada na arquitetura de estilo romântico. Este foi o primeiro monumento religioso que vimos e reconhecemos logo quando chegamos ao centro histórico. Só mesmo no 2º dia é que dedicamos um tempo para visitar e admirar este lindo recanto. Fizemos uma paragem obrigatória para uma sessão fotográfica, filmagens e algumas entrevistas para a imprensa.

Igreja da Ajuda, Igreja da Misericórdia e Igreja de São Martinho

Estes três espaços dedicados à prática da religião cristã estão espalhados pela cidade. Não visitámos o interior de nenhum deles por falta de tempo disponível. Ao longo do nosso percurso fomos vendo e fotografando o que aparecia ao nosso redor.

Pelo caminho encontrámos a Capela da Nossa Senhora da Ajuda. Este é fácil de reconhecer e encontrar porque está mesmo no Largo do da Ajuda. A sua fachada tem traços de arquitetura que nos remetem para o estilo Tardo-Barroco.

Um pouco mais à frente, seguindo os caminhos de chão em paralelo encontramos a Igreja da Misericórdia. Situado no Largo da Misericórdia esta igreja é classificada como sendo um Imóvel de Interesse Público. Dizem os entendidos na matéria que toda a sua estrutura foi inspirada nos estilos Maneirista e Rococó.

Mesmo no coração do centro histórico encontrámos a Igreja de São Martinho. O edifício está num quarteirão formado pela Rua Direita, Rua do Sacramento, Travessa da Matriz e pelas Escadas da Matriz. Neste passeio consegui também descobrir que a sua construção foi inspirada na arquitetura de estilo renascentista. E foi aqui que terminou a primeira parte deste roteiro turístico e religioso pelo centro da cidade.

Mosteiro de Paço de Sousa

Depois do passeio pelo centro histórico metemo-nos num autocarro e dirigimo-nos ao Mosteiro de São Salvador de Paço de Sousa. Este é um dos 21 monumentos inseridos na Rota do Românico do Vale do Sousa. Destes apenas seis pertencem ao concelho de Penafiel.

Tivemos o privilégio de ter connosco um técnico de turismo entendido na área que nos contou um pouco da sua história. Este mosteiro transporta-nos para outra época da nossa história primordial portuguesa. Este é considerado pelos especialistas um mosteiro de estilo arquitetónico gótico e românico. No seu interior, junto à entrada do lado direito, está sepultado Egas Moniz, o aio de D. Afonso Henriques. A presença da sua sepultura neste lugar mítico simboliza a lealdade do aio perante o primeiro rei de Portugal. O técnico que nos guiou disse-nos que no interior do túmulo há uma pequena caixa de cobre com as suas cinzas fúnebres. O túmulo é uma bonita obra de arte em pedra que retrata alguns momentos importantes da vida de Egas Moniz. As molduras da fachada, a torre sineira e a sepultura de Egas Moniz fazem deste mosteiro um dos mais importantes da zona.

Quinta da Aveleda

Quando saímos de Mosteiro voltámos a entrar no autocarro e dirigimo-nos à lindíssima Quinta da Aveleda. Uma grande surpresa para todos os nossos sentidos.

Esta é a quinta da empresa familiar que produz os conhecidos vinhos da Aveleda e Casal Garcia. Passeamos pelos belíssimos e intermináveis jardins da quinta, que nos tiraram as palavras ao dobrar de cada esquina. Vimos a antiga Casa do Porteio, a Casa de Chá e a Fonte de Nossa Senhora da Vandoma dedicada à Santa padroeira da cidade do Porto. Por fim entramos também na adega velha onde estão as pipas com o vinho a envelhecer. Durante o passeio provamos alguns vinhos e queijos da quinta e ainda uma sangria frutada. No final da visita tivemos a oportunidade de entrar na loja e trouxemos para casa umas lembranças saborosas deste lugar.

Em breve escreverei um artigo mais detalhado sobre a minha visita a esta quinta. Depois da uma tarde recheada regressamos ao Penafiel Park Hotel & Spa onde jantámos e estivemos toda a noite a conviver entre Bloggers.

2º dia em Penafiel

A manhã em Penafiel começou muito cedo com os raios de sol a entrar pela janela do quarto do hotel. Os quartos eram espaçosos, com uma decoração requintada e muito quentinhos e confortáveis. Foi só depois de tomarmos o pequeno-almoço continental nos dirigimos para outra nova aventura pelas ruas de Penafiel.

Museu Municipal de Penafiel

Para complementar a nossa visita ao centro histórico da cidade tivemos logo pela manhã uma visita guiada ao Museu Municipal. Fomos aqui recebidos pelo Presidente da Câmara de Penafiel que nos deu as boas vindas com um breve discurso publicado na Imprensa. Depois da receção fomos então guiados numa visita às instalações do museu por uma técnica do Turismo local.

Este museu tem à nossa disposição cinco salas temáticas com Exposições Permanentes dedicadas à Identidade, Território, Arqueologia, Ofícios, Terra e Água. Todo o espaço é maravilhoso, moderno e cheio de peças históricas de diferentes épocas e costumes. Entre muitas peças encontrámos representações da vida quotidiana, a reconstituição de uma sepultura e a estátua de um guerreiro galaico. A duração da visita guiada ao museu demorou aproximadamente 1h, tornando a nossa visita a Penafiel mais completa e enriquecedora.

Aldeia Histórica de Quintandona

Depois da visita ao Museu metemo-nos mais uma vez no autocarro e fomos em direção à Aldeia de Quintandona. É considerada uma aldeia preservada porque todas as casinhas têm influências de granito amarelo, ardósia e do xisto. Recentemente, a aldeia foi recuperada com o objetivo de melhorar as ruas e os edifícios degradados nesta zona histórica. Com a restauração da aldeia criaram uma harmonia entre todas as habitações. Hoje a aldeia tem casas de xisto e casas modernas adaptadas ao estilo rural, garantindo assim uma coerência na arquitetura. Entre essas casas de turismo rural visitamos a Casa Valxisto. Um refúgio simples e moderno, ideal para quem gosta de passar uns dias no sossego do campo.

Foi ainda em Quintandona que saboreamos alguns pratos locais no nosso almoço de Domingo. Esta aldeia tem muita cultura gastronómica e em breve escreverei um artigo sobre todos os sabores que aqui encontrei.

Gostei bastante deste fim-de-semana em Penafiel. A cidade surpreendeu-me imenso. É uma pena que em Portugal muitos locais sejam poucos falados e o seu valor não seja devidamente reconhecido. De certeza que vou voltar em breve. A cidade e as aldeias vizinhas têm ainda mais lugares bonitos para visitar. Com muita pena nossa o tempo é escasso e é impossível ver tudo em apenas dois dias. Mal possa regressarei para descobrir mais sobre Castro de Monte Mouzinho e a Aldeia Histórica de Cabroelo.

Seguir:
Cristina

Apaixonada por viagens.
Deliciada pela Gastronomia.
Fotografa Paisagens e Comida.

Find me on: Web | Facebook

Deixa aqui a tua mensagem

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this:

À Procura de Algo?